15 de abril de 2015

Governo promove palestra sobre política territorial rural

Grande Ilha - Com o objetivo de discutir a implementação de políticas públicas para o desenvolvimento sustentável rural do Maranhão, a Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SAF) promoveu a palestra ‘Ruralidade, Territórios e Agricultura Familiar’. A palestra foi ministrada pelo secretário de Desenvolvimento Territorial (SDT) do Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA), Humberto Oliveira.

A SDT é um órgão que dá apoio a iniciativas dos poderes públicos ou da sociedade civil na promoção do desenvolvimento rural, em regiões, predominantemente, habitadas por agricultores familiares, assentados pela reforma agrária. O secretário Humberto de Oliveira relatou diversas experiências sobre práticas de desenvolvimento rural, em diferentes regiões do país, citando, como exemplo, o estado da Bahia, onde a questão territorial já avançou.

Ele defendeu a importância de integrar políticas públicas com o propósito de beneficiar o meio rural, particularmente as áreas mais pobres, incluindo grupos sociais que historicamente estiveram excluídos dessas políticas, como as populações indígenas e os povos tradicionais.

De acordo com Oliveira, a política de territórios, com foco na produção do desenvolvimento sustentável, valoriza a identidade das comunidades. “É preciso definir as ações, avaliando critérios multidimensionais: espaço físico geograficamente definido, economia, cultura, a política e as instituições”, destacou.

Para o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Adelmo Soares, a discussão sobre territórios é mais um passo do governo do Estado no caminho para a construção de políticas que melhorem a vida das famílias do campo, reduzindo as desigualdades sociais no Maranhão, meta da gestão do governador Flávio Dino.

Também participaram da reunião o deputado Zé Inácio (PT); o presidente do Instituto Maranhense de Pesquisas Socioeconômicas e Cartográficas (Imesc), Felipe de Holanda; a secretária de Estado da Mulher, Laurinda Pinto; além de representantes de entidades dos movimentos sociais ligados ao campo, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), da Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária (Sagrima), do Instituto de Terras do Maranhão (Iterma) e técnicos da SAF.

BNC Agricultura

Nenhum comentário:

Postar um comentário

quero comentar